Caseiro envolvido na morte dos Staheli tinha dólares

A namorada do caseiro Jossiel Conceição dos Santos, suspeito de envolvimento no assassinato do casal norte-americano Todd e Michelle Staheli, informou à polícia que o rapaz precisava de dinheiro e que, por isso, pode ter invadido a casa do cônsul da Turquia, na semana passada, para assaltá-la. De acordo com a polícia, a moça, que se chama Elizete e morava com Santos na Favela da Tijuquinha, zona oeste do Rio,contou que está grávida e que pediu dinheiro ao namorado para comprar um remédio, prescrito por um médico do hospitalmunicipal Miguel Couto. O medicamento, conforme o relato, custa R$ 40, quantia da qual o casal não dispunha. Elizete contou que Santos lhe prometeu conseguir o dinheiro.Elizete disse também que, dias atrás, viu o caseiro tentando trocar dólares por reais. A informação já havia sido passada por um dos porteiros do condomínio Porto dos Cabritos, Cezar de Almeida, na semana passada, logo após a prisão do suspeito. Santos trabalhava havia três anos numa das casas, que fica próxima à do casal Staheli e à do cônsul da Turquia. A consulesa, Cigden Bagci Felix, que acordou na última quinta-feira com Santos em seu quarto, já havia declarado quedesconfiava que ele invadira sua casa para roubar. O rapaz foi detido graças à ação de seguranças do condomínio, que oentregaram à polícia. Ele disse que entrou lá não para assaltar, e sim para informar à família que havia encontrado o cachorro da família na rua. O caseiro confessou então ter matado Todd e Michelle Staheli. Na sexta-feira, depois de ser solto, por decisão da Justiça, ele mudou seu depoimento e afirmou que sua participação se limitou a ceder para os dois assassinos o pé-de-cabra usado para golpear o casal. A Secretaria de Segurança Pública informou hoje que intensificou as buscas aos dois homens.A reconstituição do crime, que fora marcada para hoje quando Santos confessou o crime, foi adiada com a novaversão, segundo a qual Santos não entrou na mansão dos Staheli. Os policiais querem atestar a veracidade das informações passadas pelo caseiro em seu último depoimento, antes de agendar a data da simulação.O resultado do exame de DNA feito nos vestígios de sangue encontrados na bermuda e na camiseta que Santos declarou terusado no dia do crime não havia sido divulgado até o início da noite. O material está sendo comparado com o retirado de Todd e Michelle. Santos já disse que se sujou de sangue quando os assassinos lhe devolveram o pé-de-cabra. O secretário de Segurança, Anthony Garotinho, proibiu as pessoas envolvidas nas investigações de dar entrevista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.