Caso João Roberto: PM voltará a ser julgado

Por maioria dos votos, os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio determinaram ontem que o PM William de Paula seja novamente levado ao Tribunal do Júri para responder pela morte de João Roberto Amorim Soares, assassinado em julho do ano passado, aos 6 anos. O menino morreu quando o carro em que estava, com a mãe, foi alvo de mais de uma dezena de disparos de dois policiais - que o confundiram com o carro de criminosos que perseguiam. Os dois PMs respondem a processos separados e, em dezembro, William foi absolvido do homicídio pelo 2º Tribunal do Júri, sendo sentenciado apenas a 7 meses de detenção, em regime aberto, pelo crime de lesão corporal leve praticado contra Alessandra Amorim Soares, mãe de João Roberto, que foi vítima dos estilhaços do vidro do carro, e de seu outro filho, Vinícius, na época com 9 meses de idade, que sofreu lesão no ouvido. O outro policial militar, Elias Gonçalves da Costa Neto, entrou com recurso no TJ e ainda não teve o julgamento marcado. O Estado não conseguiu falar ontem com o advogado do policial William.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.