Caso Lorenzetti: jovem é presa

Camilla França, de 19 anos, foi presa na noite de anteontem em Nova Friburgo (RJ), acusada de participar do seqüestro e morte do empresário Matteo Lorenzetti, de 27 anos, em junho de 2007. Matteo, que administrava a empresa de embalagens da família, foi seqüestrado por um grupo comandado por Rafael Morgillo, ex-funcionário da empresa. Em junho, após ficar por algumas horas em poder dos seqüestradores, a família pagou o resgate de R$15 mil e Matteo foi morto em seguida. Segundo investigações policiais, um dos seqüestradores falou o nome de Morgillo e a vítima ouviu. O ex-funcionário, com medo de ser descoberto, acabou ordenando a morte. Quatro dias depois do crime, Rafael Morgilo e Alex Sandro da Conceição foram presos. Um casal de namorados, Gabriel Freitas Batista e Camila Vasconcellos França, conseguiu fugir. Camila participou do crime indo até uma agência bancária para sacar, com o cartão da vitima, todo o dinheiro da conta corrente. Câmeras de segurança flagraram a jovem. Por meio da internet, a mãe de Matteo, a empresária Beatriz Puccini, deu início a uma investigação paralela e conseguiu ajudar a polícia com informações sobre o paradeiro do casal. Camila estava morando no Rio e, segundo denúncias anônimas, Gabriel, que continua foragido, foi visto em Minas. "Espero que ela (Camila) fale a verdade, para que o caso seja esclarecido e a gente possa entender o que aconteceu", disse a mãe. Beatriz passa horas na internet em busca de informações. "Tenho a força de Deus, que me ajuda, e também das pessoas, para continuar lutando por Justiça."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.