Mário Vasconcellos/CMRJ
Mário Vasconcellos/CMRJ

Caso Marielle: Polícia Civil e MP fazem nova operação para cumprir mandados de busca e apreensão 

Ação busca apreender eventuais documentos, mídias eletrônicas, celulares, armas e munições de pessoas identificadas na investigação por ligação com o crime

Ana Paula Niederauer e Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2019 | 08h24

RIO - A Polícia Civil e o Ministério Público do estado do Rio de Janeiro cumprem nesta manhã 16 mandados de busca e apreensão – de um total de 32 expedidos ontem, na Operação Lume, parte das investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes

A ação complementar à Operação Lume, deflagrada nesta terça-feira, 12, busca apreender eventuais documentos, mídias eletrônicas, celulares, armas e munições de pessoas identificadas na investigação por ligação com os denunciados Ronnie Lessa e Elcio Vieira de Queiroz

Entre os endereços visitados pela polícia estariam os de um bombeiro e de outros dois policiais militares. Ainda segundo a emissora, até as 10h, pelo menos quatro pessoas tinha chegado à Delegacia de Homicídios e estariam prestando depoimento.

A Operação Lume foi deflagrada na madrugada de terça-feira, com a prisão do PM reformado Ronnie Lessa, que teria sido responsável pelos disparos que mataram Marielle e Anderson, e do ex-PM Élcio Queiroz, que teria dirigido o carro do assassino no dia do crime. Os dois devem ser transferidos ainda hoje para o Complexo Penitenciário de Bangu. As defesas dos dois acusados negam a participação no crime.

Nem a polícia nem o Ministério Público, no entanto, apontaram as razões do crime ou os mandantes.

Nesta quinta-feira, 14, completa-se um ano da morte da vereadora e de seu motorista. Na manhã desta quarta, a Anistia Internacional organizou um evento público em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo do Estado, para cobrar o esclarecimento do crime. Estava previsto para às 16h um encontro com o governador Wilson Witzel, que receberia da ONG 778 mil assinaturas (colhidas em 46 países dos cinco continentes) pedindo justiça para o assassinato.

Prisões

Nesta terça-feira, uma operação conjunta do MPRJ e da Polícia Civil prendeu o PM reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz. 

Segundo o MP, Lessa é o autor dos disparos de arma de fogo que mataram Marielle e Anderson. Já Elcio é apontado como o motorista do veículo Chevrolet Cobalt usado no crime. Os dois foram denunciados por homicídio qualificado e por tentativa de homicídio de uma assessora da vereadora que estava dentro do carro. Os advogados de Ronnie Lessa e Elcio Vieira de Queiroz negaram o envolvimento de seus clientes no caso. Os dois devem ser transferidos ainda hoje para unidades prisionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.