Caso Staheli: polícia suspeita de amigo do casal

A dez dias de completar quatro meses do caso Staheli, a polícia aponta como principal linha de investigação da autoria do assassinato do executivo da Shell Zera Tood e de sua mulher Michelle um americano que seria amigo de Todd. O casal foi atacado na mansão onde morava, num condomínio na Barra da Tijuca (zona oeste).O subchefe da Polícia Civil, José Renato Torres, não revelou maiores detalhes sobre a apuração, mas disse que "a linha de investigação passa" pelo envolvimento do amigo de Staheli, que viajou de volta aos Estados Unidos dias depois do crime, levando um palm top (computador de bolso) do diretor de Gás e Energia da Shell. "Até o Garotinho (Anthony Garotinho, secretário de Segurança Pública do Rio) disse estar perto de chegar à conclusão do caso", afirmou Torres.No dia 30 de novembro de 2003, Tood, de 39 anos, e sua mulher, Michelle, 36 anos, morreram depois de terem sido golpeados por um objeto cortante, no momento em que dormiam em casa, no condomínio de luxo Porto dos Cabritos. Nesses quase quatro meses após a brutal assassinato, 19 linhas de investigação foram utilizadas pela Polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.