Caso Stahelli ?na estaca zero?. Opinião do chefe da polícia

Onze dias após o assassinado do casal Todd e Michelle Staheli, o chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, disse hoje que a investigação está ?na estaca zero?. ?Não há uma linha de investigação. O que há é a checagem de todas as possibilidades, de que seja uma ação de roubo, vingança, crime passional, a questão da empresa, ainda não dá para descartar nada?, declarou o delegado, após palestra no Ministério Público do Estado.Logo após o crime, com os primeiros indícios levantados pela polícia, o secretário da Segurança Pública, Anthony Garotinho,descartara a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte).Lins disse hoje que, inicialmente, a investigação se concentrou na parte pericial, que, segundo ele, está praticamente esgotada, restando apenas o laudo do exame toxicológico nos corpos das vítimas. A perícia nos discos rígidos dos computadores apreendidos na casa também não foi concluída.Agora, afirmou o delegado, a polícia vai partir ?para fora da família?. ?Uma investigação de homicídio parte da vítima. Quem tinha interesse na morte é a pergunta fundamental. Então a gente tem que conhecer quais eram os relacionamentos da família, quemtinha briga com eles, quem eles incomodavam. No trabalho ou na relação pessoal. Vamos ouvir os colegas de trabalho, o chefedele, todos vão ser ouvidos?, disse Lins.Na quinta-feira, o advogado da família, João Mestieri, afirmara que ?a resposta está fora, e não dentro da casa?. Ele criticou aatuação da polícia e sugeriu que o crime possa ter relação com negócios realizados pelo executivo. Segundo o advogado, a tesede que ninguém entrou e ninguém saiu da casa, portanto o criminoso seria alguém da família, que foi insinuada e depois negada por Garotinho, ?é muito simples, quase ingênua?.Um promotor que acompanha o caso disse ao Estado que a polícia está ?refém de um eventual delator?. Na falta depistas, a secretaria da Segurança aposta na ajuda de informantes para tentar solucionar o caso. Na quarta-feira, dia da?reprodução simulada? do crime na casa dos Staheli, o diretor da Polícia Técnica, Roger Ancillotti, fez um apelo à população paraque colabore por meio do Disque-Denúncia (21-2253-1177). No dia 5, ao divulgar o resultado da perícia na casa dos Staheli, Garotinho admitiu que o trabalho dos peritos não era conclusivo e disse que a solução do crime dependeria de depoimentos que dessem pistas à polícia. ?Aquelas pessoas que acham que podem dar alguma informação para a polícia, que liguem. Essa é a ajuda que a sociedade pode nos dar?, declarou Ancillotti. Ontem, o titular da Delegacia de Homicídios, Carlos Henrique Machado, ouviu mais uma vez o depoimento dos seguranças do condomínio onde morava a família.Para ler mais sobre o crime na Barra da Tijuca: » Filhos do casal Staheli já embarcaram para os EUA » Filha dos Staheli já pode ser liberada para voltar aos EUA » Garotinho diz que investigação no caso Staheli é perfeita » Corpos do casal Staheli seguem para aeroporto » Termina reconstituição; Exame em enxada dá negativo » Enxada encontrada na casa dos Staheli será periciada » Acumulam-se erros na investigação da morte dos Stahelis » Garotinho no centro da polêmica sobre os filhos de Staheli » Advogado dos Stahelis sugere que criminoso é estrangeiro » Caso Staheli: especialistas estranham demora da polícia » Polícia do Rio vai refazer perícia na casa dos Staheli » Parentes querem adiar reconstituição do crime dos Staheli » FBI manda investigadores para acompanhar casa Stahelli » Corpo de Michelle Staheli já foi encaminhado para necropsia » Polícia ainda não solicitou sangue de mulher de executivo » Morre Michelle Staheli, a mulher do executivo » Filhos do casal terão que prestar depoimento » Depoimento da filha mais velha tem contradições, diz secretário » Morte cerebral de Michelle Staheli é ?questão de tempo? » Situação de Michelle Staheli é ?extrema?, diz boletim » Polícia quer impedir que filha de executivo deixe o País » Mercado não acredita em ameaças ao executivo americano » Estado da mulher do executivo choca os parentes » Parentes do casal americano chegam ao Rio » Empresário americano podia estar sendo ameaçado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.