Casos poderão ir para site

Página da Apeoesp na web terá senha para denúncias

Maria Rehder, O Estadao de S.Paulo

28 de janeiro de 2009 | 00h00

Os professores da rede estadual de ensino também vão contar com um sistema virtual para registro de casos de violência na escola. O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) vai lançar ainda no primeiro semestre um site e distribuir senhas para que os professores relatem os casos de violência sem medo. "Ainda não há um sistema oficial de registro de violência para o professor, que muitas vezes tem medo de falar sobre as ocorrências", explica Maria Izabel Noronha, presidente do sindicato. A Apeoesp vai consolidar as ocorrências em um banco de dados e vai oferecer apoio às escolas que relatarem os problemas mais graves. Quando questionada sobre o novo pacotão da Secretaria Estadual de Educação, Maria Izabel faz uma ressalva. "É positivo criar medidas para impedir a violência, mas é preciso cuidado com essa relação direta com a Polícia Militar. A escola precisa de autonomia para resolver seus conflitos", diz a sindicalista. Um funcionário da Escola Estadual Amadeu Amaral - que não quis ter o nome divulgado - confirmou ontem à reportagem o medo de exposição dos funcionários. "A gente convive com os alunos diariamente e é arriscado denunciar porque, se eles descobrem, as coisas podem complicar."Sobre o novo pacotão da secretaria, o funcionário avalia que a polícia deverá ter cautela ao entrar na escola. "A gente só vai ver se isso funciona de verdade na prática. Mas acho que, além do pacote de violência, é preciso mais recursos para os professores", afirma. O funcionário ressalta que um dos problemas da Escola Estadual Amadeu Amaral era a falta de recursos para as atividades à tarde, já que a escola funciona em tempo integral. Apesar de ter presenciado a depredação do colégio pelos alunos em novembro, o funcionário continuará na escola na volta às aulas. "Tive medo, mas não vou desistir."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.