Catador de papelão pede para voltar para a cadeia

O catador de papelão Genival Lourival Moraes, de 43 anos, cansou de ser livre e foi até o Plantão Policial de Jundiaí para pedir ao delegado José Roberto Ferraz para ser preso. Ele contou que, depois de condenado por homicídio, fugira da penitenciária de Assis há 25 anos, e deseja desesperadamente voltar para a cadeia. O delegado estranhou a conversa, mas após consulta à ficha criminal, constatou que o então lavrador era procurado da Justiça. Depois de receber a voz de prisão e encaminhado para a Cadeia Pública de Jundiaí, Genival explicou que estava cansado de ficar nas ruas, porque vem passando por dificuldades financeiras e fome. Já na cadeia, justificou, vai ter três refeições por dia, água e lugar para dormir, de graça. O delegado e diretor da cadeia, Fernando Iwanaga, surpreendeu-se com a história, mas reconheceu que "para algumas pessoas a cadeia é o melhor lugar mesmo, com comida grátis e remédio" à vontade, pago pelo Estado. Genival disse contou que foi preso e condenado há 25 anos por ter matado um caminhoneiro na cidade de Mauá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.