Cativeiro era uma grande fortaleza, diz delegado

Segundo o delegado de plantão do 1º Distrito Policial de Ribeirão Pires, o cativeiro montado em uma chácara nas proximidades da Rodovia Índio Tibiriçá, encontrado no final desta madrugada, era uma verdadeira fortaleza. De muros altos e com um equipado sistema de monitoramento interno e externo através de câmeras, a chácara que fica na zona rural do município era utilizada por uma quadrilha muito bem equipada, diz o delegado. Os policiais civis que investigam o caso encontraram ainda uma máquina de contar cédulas, um mapa do Estado de São Paulo, munições, cordas e uma dispensa cheia de alimentos. Uma Saveiro preta batida e com muito sangue também foi descoberta do lado de fora da chácara. Segundo a polícia, a casa teria pertencido à conhecida traficante de Campinas, Maria do Pó, que está presa. A identidade da vítima, porém, ainda é desconhecida. No final desta madrugada, a polícia descobriu este cativeiro na chácara que fica na rua Monte Paschoal, no bairro Ouro Fino Paulista, depois de ter encontrado o soldado da PM de Diadema Fábio Luís de Azevedo Oliveira, de 24 anos, morto no porta-malas de um Ômega abandonado na Rodovia Índio Tibiriçá. Com a chegada dos policiais no cativeiro, os bandidos fugiram com a vítima para um matagal. Houve um intenso tiroteio com policiais militares do 30º Batalhão e do Comando de Operações Especiais (COE), que cercam a área. Ninguém ficou ferido. Segundo o Centro de Operações da PM, os bandidos chegaram a invadir o terreno de uma chácara da região, para tentar fugir do cerco policial. As buscas continuam com a ajuda do canil da PM.Corpo encontrado - Policiais de Ribeirão Preto receberam há pouco a informação de que outro homem teria sido encontrado morto com vários tiros na rua Jundiaí, no bairro Vilar Velho, a quatro quilômetros do cativeiro. Ainda não há indício, porém, da ligação entre os dois crimes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.