Eugenio Moraes/Hoje em Dia - 15/3/2010
Eugenio Moraes/Hoje em Dia - 15/3/2010

CBTU anuncia reajuste de quase 90% nas passagens de metrô de cinco capitais

Preço dos bilhetes em Belo Horizonte e Recife saltaram de R$ 1,80 e R$ 1,60 para R$ 3,40 e R$ 3, respectivamente; Em João Pessoa, Maceió e Natal, as tarifas custarão o dobro, passando de R$ 0,50 para R$ 1

Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2018 | 15h12

SÃO PAULO - A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) anunciou reajuste de quase 90% nos valores de passagens de metrô de cinco capitais do País. Em quatro cidades, o aumento ocorre após mais de uma década sem mudanças nas tarifas.

Em nota divulgada nesta segunda-feira, 7, a CBTU informa que a partir da próxima sexta-feira, 11, os bilhetes de Belo Horizonte (R$ 1,80) e Recife (R$ 1,60) terão reajuste de 89% e 88%, saltando para R$ 3,40 e R$ 3, respectivamente. Em João Pessoa, Maceió e Natal, as tarifas custarão o dobro, passando de R$ 0,50 para R$ 1.

+ Corte de verba ameaça parar metrôs em cinco capitais

Segundo a CBTU, o reajuste "busca o fortalecimento do transporte de passageiros sobre trilhos". 

"Rigorosamente em todo o país, tarifas de transportes públicos sofrem reajustes baseados, normalmente, em índices inflacionários. Em João Pessoa, Maceió e Natal as tarifas estão congeladas há 15 anos; em Belo Horizonte há 12 anos e em Recife há seis", afirmou a companhia. "Com isso, a receita obtida pelo serviço de transporte metroferroviário não evoluiu de forma compatível com o aumento de seus custos, sendo necessária aplicação do presente reequilíbrio financeiro."

+ Não faltará verba para metrôs, diz Planejamento

Em março deste ano, a companhia ameaçou reduzir o funcionamento das linhas de metrô das cinco capitais para apenas os horários de pico dos dias úteis. O motivo seria o corte de 43% no orçamento de 2018 em relação ao ano passado. Em 2017, a companhia recebeu R$ 260 milhões, mas neste ano o montante foi reduzido a R$ 139,7 milhões.

No início de abril, o então ministro de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, afirmou que seria realizada complementação orçamentária para garantir o funcionamento das linhas operadas pela CBTU.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.