CCJ da Câmara aprova anistia a bombeiros do Rio de Janeiro

Proposta estende benefícios a PMs e bombeiros envolvidos em casos semelhantes no Brasil

Eduardo Bresciani, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2011 | 12h38

BRASÍLIA - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou há pouco projeto que dá anistia criminal aos bombeiros presos que invadirem o quartel general da corporação no Rio de Janeiro, no início de junho. A proposta estende o benefício a policiais militares e bombeiros envolvidos em movimentos semelhantes em diversos estados. Como tem caráter conclusivo, o projeto segue diretamente para o Senado.

 

A votação contou com a presença de dezenas de bombeiros, que desde ontem cobram uma definição rápida dos deputados sobre o tema. Na semana passada o Senado aprovou uma anistia, mas a proposta aprovada pela Câmara é mais ampla. Por isso, os senadores deverão votar novamente o tema. Além dos bombeiros envolvidos no protesto, o projeto aprovado pelos deputados estende a anistia a bombeiros e policiais militares de estados como Rondônia, Rio Grande do Norte, Bahia, Roraima, entre outros, que participaram de movimentos reivindicatórios.

 

Apesar da maior amplitude do projeto, foi a bancada fluminense quem pressionou para a aprovação. "Nem mesmo a ditadura militar teve a ousadia de prender 439 pessoas ao mesmo tempo", disse Anthony Garotinho (PR-RJ). "A incriminação destes servidores é absurda de origem e o próprio governador Sérgio Cabral já admitiu que errou",afirmou Chico Alencar (PSOL-RJ). "A CCJ está contribuindo para devolver a paz ao Rio de Janeiro e permitir aos bombeiros que continuem a lutar por seus direitos", disse Alessandro Molon (PT-RJ). A aprovação foi comemorada efusivamente pelos bombeiros. Emocionados,eles cantaram hinos da corporação em agradecimento ao apoio dos deputados.

Tudo o que sabemos sobre:
bombeirosriogreveinvasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.