CCR diz estar em acordo com contrato de concessão

Oficialmente, em sua defesa no processo judicial que previa o fim da cobrança de pedágio no Rodoanel, a concessionária CCR definiu a alegação acolhida pela liminar como "um verdadeiro afronte aos princípios constitucionais de Direito". E afirmou que a cobrança "está em total sintonia com o disposto no contrato de concessão, tendo em vista o alto investimento para a construção, conservação e melhoramento das rodovias paulistas".Em nota divulgada à imprensa na tarde de ontem, enquanto a liminar ainda estava em vigor, a empresa informou que o Tribunal de Justiça de São Paulo já havia considerado a lei estadual revogada e, por isso, estava estudando todas as providências para "preservar os seus direitos e as regras do contrato de concessão" do Rodoanel.A concessionária reforçou ainda que "vem cumprindo todas as obrigações e normas do contrato de concessão", desde que ele foi firmado em junho de 2008. Segundo a empresa, os pagamentos das parcelas pela concessão estão sendo pagos "rigorosamente", totalizando R$ 750 milhões até dezembro de 2008. O total é de R$ 2 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.