AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

CDP de Guarulhos adere à megarrebelião

A delegacia seccional de Guarulhos confirmou na manhã deste domingo que, além dos detentos da penitenciária Adriano Marrey, os internos do Centro de Detenção Provisória I da cidade também se rebelaram. Com mais este, fica para 36 o número de motins que fazem parte da megarrebelião que atinge o estado de São Paulo desde sexta-feira.Os detentos da penitenciária Adriano Marrey se rebelaram por volta das 9h30. Segundo a delegacia seccional de Guarulhos, há 15 familiares e quatro agentes penitenciários em poder dos detentos. No CDP, a rebelião começou por volta das 11h30, e os presos mantêm oito agentes como refnéns. O CDP tem capacidade para 768 presos e abriga atualmente 1.305Além das revoltas, Guarulhos também foi marcada pelo assassinato de um soldado da Polícia Militar à paisana, com sete tiros na cabeça, por voltas das 21 horas do último sábado. A vítima estava em um posto de gasolina da avenida Jurema, quando um gol branco com três pessoas disparou contra ele. O agente foi encaminhado ao Pronto-Socorro Alvorada, mas já chegou sem vida ao hospital.Suzano e Mogi das CruzesEm Suzano, na região metropolitana de São Paulo, os presos se renderam por volta das 10h30 deste domingo, 14, após a entrada da Tropa de Choque no presídio. Ninguém ficou ferido, segundo a polícia militar. Em Mogi das Cruzes, na mesma região, os presos mantêm os cinco reféns desde a tarde de sábado mas, de acordo com informações da PM, a Tropa de Choque entrou no local por volta das 11h30 e a rebelião deve acabar em instantes.Ataques Outros ataques foram feitos na noite do último sábado. Na cidade de Araraquara, o agente penitenciário João Francisco Fernandes, 41 anos, foi morto dentro de sua lanchonete, no bairro do Jardim Iguatemi. O criminosos fugiram numa moto. A informação foi confirmada pela penitenciária local.No Interior, o instituto Penal Agrícola de São José do Rio Preto foi alvo de ataque às 20 horas do último sábado. Um agente penitenciário foi atingido pelos disparos e está internado em estado grave. Segundo informações preliminares da Delegacia Seccional do município, os dois criminosos realizaram os disparos dentro de um Monza vermelho. O carro foi encontrado na região pouco tempo depois.Balanço oficialOs ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) contra a segurança pública, iniciados na sexta-feira, já contabilizam 100 ocorrências, 52 mortes e 53 feridos, segundo informou por volta das dez horas deste domingo o governo de São Paulo. Neste levantamento haviam sido registradas um total de 36 rebeliões, que, somadas à confirmada mais tarde em Guarulhos, chega a 37 unidades. Entre os mortos estão 35 policiais civis, militares, integrantes de guardas metropolitanas e agentes de segurança de penitenciária; 3 civis e 14 suspeitos. Entre os feridos há 24 policiais militares; 5 policiais civis; 5 guardas metropolitanos; 2 agentes penitenciários; 8 cidadãos e seis suspeitos.Os novos motins deste domingo são: Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Bernardo do Campo, São José dos Campos, Guarulhos e Belém, cadeira feminina de Campinas, Itapetininga 1 e 2; Praia Grande; Adriano Marrey, em Guarulhos; Pirajuí 2; Assis; Hortolândia; Martinópolis; Getulina; Mirandópolis 1 e 2; Potim 2; Casa Branca; Álvaro Carvalho e Marília. A rebelião em Campinas foi controlada.Continuam rebeladas e com reféns: a Penitenciária de Ribeirão Preto (9 reféns), Penitenciária II de Pirajuí (10 reféns), CDP de Mogi das Cruzes (6 reféns), Penitenciária de Araraquara (indeterminado), Penitenciária de Lucélia (11 reféns), Penitenciária de Lavínia (1 refém), Penitenciária de Marabá Paulista (3 reféns), CDP de Campinas (encerrada), Penitenciária de Flórida Paulista (indeterminado), Penitenciária de Paraguaçu Paulista (indeterminado), Penitenciária de Riolândia (12 reféns), Penitenciária I de Potim (indeterminado), CDP de Diadema (11 reféns), Penitenciária I de Franco da Rocha (2 reféns), Penitenciária de Irapuru (10 reféns), CDP I Osasco (2 reféns).A rebelião na Penitenciária I de Avaré, que começou na tarde se sexta-feira, foi encerrada e deixou 1 refém levemente ferido. Nas Penitenciárias de Iaras, na I de Guareí, na II de Itirapina, na de Presidente Prudente, na II de Avaré, e na Serra Azul I as rebeliões também foram controladas, mas sem deixar feridos.

Agencia Estado,

14 de maio de 2006 | 12h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.