Ceará aguarda extradição de doleiro

Autoridades cearenses aguardam a extradição do doleiro Alexander Diógenes Ferreira Gomes, de 41 anos, preso na segunda-feira, 19, pela Interpol na costa espanhola. A previsão é de que o empresário seja trazido para Fortaleza dentro de 60 dias, prazo médio para que sejam cumpridos todos os trâmites do acordo de extradição existente entre Brasil e Espanha desde 1988.O empresário, que era um dos sócios-proprietários do grupo ACC Card, é acusado de desviar pelo menos R$ 1 bilhão do fisco brasileiro, de efetuar remessas ilegais para o Exterior, de formação de quadrilha, fraudes contra a Ordem Tributária e o Sistema Financeiro Nacional, de criar empresas fantasmas e de falsificar documentos. Condenado a 12 anos de reclusão e a pagar multa de 1.600 salários mínimos em um dos 11 processos que responde na Justiça Federal, Alexander estava sendo procurado há três anos. Em setembro de 2002, foi vítima de um suposto seqüestro, que durou 39 dias. Após pagar R$ 600 mil de resgate, foi liberado e fugiu.De acordo com o jornal cearense O Povo, o doleiro fez seu roteiro de fuga por pelo menos quatro países: Nova Zelândia, Indonésia, São Cristóvão e Espanha. Ele chegou a usar um nome falso: Andrew Alessandro O´Neill.O juiz da 11ª Vara Federal, Danilo Fontenele Sampaio, deverá determinar o local de custódia do doleiro quando este chegar ao Brasil. Provavelmente ele será encarcerado no Instituto Penal Paulo Sarasate (IPPS), e, por já ser condenado, não terá direito à cela especial - apesar de ter diploma de curso superior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.