Celebrações do ano-novo começam na Ásia

Dezenas de milhares de pessoas assistiram a queima de fogos sobre a Baía de Sydney para comemorar a chegada do ano-novo neste domingo, enquanto multidões escalaram o Monte Fuji no Japão para ver o primeiro raio de luz do primeiro nascer do sol de 2007 e os filipinos se esforçavam para evitar acidentes envolvendo as comemorações de réveillon. Em Sydney, uma enorme queima de fogos comemorou, antecipadamente, o 75º aniversário, em março de 2007, da inauguração da famosa Ponte da Baía de Sydney.Mais para o oeste, a Polícia filipina tentava conter casualidades nas comemorações, ameaçando prender qualquer pessoa que lançasse fogos de artifício excessivamente grandes. As redes de TV foram encorajadas a mostrar filmes sangrentos de vítimas de acidentes com rojões.Apesar dos avisos, o número de pessoas feridas por rojões e tiros de celebração aumentou 75%, com 284 feridos, nas duas semanas anteriores à comemoração do ano-novo, em comparação ao mesmo período no ano passado, afirmou o secretário de Saúde Francisco Duque III. "Eu fiz campanha todos os dias contra os rojões", disse. "Mas isso se tornou uma parte da nossa cultura." Muitos filipinos acreditam que celebrações de ano-novo barulhentas ajudam a afastar o mal e o azar.Em outros lugares da Ásia, o tempo inibiu as festividades. A agência estatal de notícias tailandesa alertou os viajantes sobre ondas de mais de três metros de altura varrendo as áreas costeiras no Golfo da Tailândia. A Autoridade de Turismo do País fez um apelo para que as pessoas monitorem de perto as previsões do tempo antes de se dirigirem a praias na parte sul do Golfo.Na vizinha Malásia, o Departamento Meteorológico alertou para ondas de mais de 4,5 metros de altura na costa leste do país, e nos estados de Sabah e Sarawak na ilha de Bornéu.Chuvas e tempestades sazonais atingiram grandes áreas da Indonésia por diversas semanas. Mais de 140 pessoas morreram e 13 mil casas foram destruídas na ilha de Sumatra nos últimos dias.No Japão, a Polícia estima que mais de 15 mil pessoas fossem escalar montanhas, algumas o famoso Monte Fuji, para receber o primeiro nascer do sol do ano-novo.Segundo a Agência Nacional de Polícia do Japão, os principais templos budistas e santuários xintoístas do país receberão aproximadamente 95 milhões de visitantes durante os três primeiros dias do ano-novo, enquanto as pessoas rezam pela Paz, saúde e prosperidade em um dis poucos ritos religiosas em que a maioria dos japoneses participa regularmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.