Cem mil veículos devem voltar do Litoral Norte nesta terça

Pelo menos cem mil veículos deixam as praias do Litoral Norte nesta terça-feira. O retorno, pelas rodovias Tamoios (SP 99) e Oswaldo Cruz (SP 123), deve acontecer a partir das 14 horas, embora a Polícia Rodoviária Estadual oriente os motoristas a evitar as estradas hoje, das 14h à meia-noite e amanhã, das 7h às 17 horas. Segundo o comando de Policiamento Rodoviário da região do Vale do Paraíba, 281 policiais em 85 viaturas estarão nas pistas das rodovias estaduais equipados com radares, binóculos e bafômetros. Na Tamoios, principal acesso para quem retorna de Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela, serão 12 patrulhas, além de duas bases fixas. Nesta estrada onde é proibida a passagem de caminhões em feriados, os policiais devem realizar a operação Pare e Siga, nos quilômetros 18 e 28, se houver lentidão ou congestionamento. No retorno de Ubatuba e das praias do Litoral Sul Fluminense, a rodovia Oswaldo Cruz deve ser a mais utilizada. As obras de melhorias nesta estrada foram suspensas até a próxima quinta-feira, mas há vários pontos onde há desnível entre a pista e o acostamento, exigindo a atenção dos condutores. Para Ilhabela, dificuldade é a balsa Para quem volta de Ilhabela, a principal dificuldade será passar pela travessia de balsa. A Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) tenta consertar uma, das seis embarcações, que quebrou na manhã de sábado. "Estamos fazendo o possível para arrumar até amanhã, mas trata-se de uma embarcação pequena, para 18 veículos", informou o coordenador técnico operacional da Dersa, Valter Bárbara. "Por causa do feriado está difícil encontrar a peça do motor". Operando com cinco embarcações, a travessia entre Ilhabela e São Sebastião deve ter até três horas de espera nesta terça-feira, a partir das 12 horas. Na tarde de hoje os turistas tiveram que esperar duas horas e meia para atravessar de São Sebastião para Ilhabela, por volta das 13 horas. Até às 16 horas passaram cerca de 2.198 carros sentido Ilhabela e 1.504 no sentido contrário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.