Cena dantesca

No dia 6 de fevereiro, entre 22h30 e 23h15, na Estação de Caieiras, vi cinco ou seis seguranças da CPTM empurrando um homem para expulsá-lo. Pelo que eu escutei, ele estava dormindo no chão ou no banco. Com ele estavam um casal e uma mulher com uma criança de no máximo um ano - todos vestidos de forma humilde. Eles xingavam o homem que respondia com palavras de baixo calão. Um deles disse que não permitiria que ele embarcasse ali. De repente, os seguranças foram pegá-lo e, acuado, esse senhor me abraçou para se proteger. Enquanto tentavam agarrá-lo, o responsável pela estação, acredito eu, pediu para os seguranças pararem e se jogou no meio do grupo. O usuário continuou impedido de embarcar e bastante nervoso ameaçava os seguranças que o intimidavam. Sou professor e usuário da CPTM há pelo menos 40 anos. Os funcionários sempre demonstraram pouco tato para lidar com o público. Esquecem-se de que é o passageiro quem sustenta o sistema. Uma empresa como essa denigre a imagem do governo do Estado. Só não fiz uma denúncia no Batalhão da Polícia Militar próximo por eu depender do metrô para voltar para casa e estar perto do horário de seu fechamento. Mesmo assim procurarei registrar, por via legal, o fato, pois o sistema de segurança deve ter as imagens registradas.CARLOS EDUARDO ORTIZ São PauloA CPTM esclarece que, após apuração dos fatos, concluiu que os vigilantes não agiram de acordo com os padrões de atendimento exigidos pela empresa e foram afastados, definitivamente, da prestação de serviço da companhia.Parque da AclimaçãoComo cidadã de São Paulo quero expressar a minha indignação quanto à situação do lago do Parque da Aclimação. É com absoluto descaso que o governo e a Prefeitura lidam com assuntos como preservação, meio ambiente, natureza e ecologia. Na hora das eleições, todos sabem prometer muito bem. Mas depois se esquecem. Disseram que no fim de semana deveria ser concluída a reforma provisória do vertedouro! Desse jeito, "provisório", vai acontecer de novo. Simplesmente porque não se importam nem sequer com a saúde dos frequentadores do parque, já que o lodo que ali ficou oferecia risco de transmitir leptospirose, hepatite e doenças provocadas por bactérias. E o que será da vida dos animais que dependem daquele lago? Espero que a atitude dos governantes comece a mudar, pois eles têm deveres a cumprir, sim!MARCELA BADOLATTOSão PauloDesmentidoSou assinante da TVA digital e há mais de 20 dias não consigo ver nenhum canal pois há interrupções contínuas de sinal. O técnico disse, após faltar em várias visitas agendadas, que o problema era com o decodificador, mas não poderia trocá-lo porque não há outro tipo de aparelho. FERNANDO DE O. GERIBELLOSão PauloAdhelaine Marques, do Relacionamento com o Assinante TVA, informa que contatou o leitor para esclarecer sobre os procedimentos técnicos adotados. Diz que o cliente confirmou que os sinais de todos os canais estão de acordo com os padrões de qualidade TVA após visita técnica e que concederam crédito referente ao período sem sinal. O leitor contesta: A TVA falta com a verdade ao informar que já creditou o que me é devido legalmente, ou seja, mais de 27 dias sem sinal. Mais do mesmoSou solidário à leitora sra. Lílian Aparecida C. Sonnemaker, que, em 3 de março, expôs seu desespero com relação à Telefônica na resolução dos problemas dos seus consumidores. Desde março do ano passado tento desligar uma linha que estava ativada em um imóvel que desocupei. Em novembro, cobraram a conta dessa linha, sob a ameaça de colocar meu nome no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). As atendentes sempre "vão estar passando" a solicitação, mas, depois de horas ao telefone, ninguém resolve nada. É necessário que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o governo, o Ministério das Comunicações, o Congresso, enfim, alguma instituição cobre pelos abusos dessa empresa e dote o Estado de São Paulo de concorrentes natelefonia fixa. JOSÉ RENATO T. DE C. CARVALHOSão PauloRodovia dos TamoiosPrezado governador José Serra, decorridos exatos dois anos de mandato, não se vê qualquer indício da obra de duplicação da Rodovia dos Tamoios, que , inclusive, fora promessa de campanha.ALCIDES FERRARI NETOSão PauloAs cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.