Wiki  commons
Wiki commons

'Censo Canino' aponta Mel e Thor como nomes mais comuns

Levantamento feito com cadastro de 108 mil cachorros no Brasil também mostra que vira-latas correspondem a um a cada quatro pets

O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2016 | 09h44

SÃO PAULO - Para as fêmeas, Mel. Para os machos, Thor. Esses são os nomes mais comuns dos cães de estimação, segundo aponta levantamento da DogHero, plataforma digital de hospedagem domiciliar para cachorros, feito com cadastro de 108 mil animais no Brasil. Além do nome, o "Censo Canino" também analisou idade, sexo e raça. E os vira-latas representam um a cada quatro bichinhos.

 

O levantamento identificou mais de 3,7 mil nomes diferentes de cães brasileiros, vários deles em referência a personagens de filmes e programas de TV, mas também há nomes e apelidos usados por humanos. Para os fundadores da plataforma, as escolhas sinalizam que o animal de estimação é visto como um membro da família.

 

Entre as fêmeas, o ranking dos nomes mais populares é liderado por Mel, sendo seguido por Nina (2.º), Luna (3.º), Lola/Lolla (4.º) e Meg/Maggie (5.º).  Na lista, também aparecem Frida (10.º), famosa pintora mexicana do século 20; Fiona (22.º), a namorada de Shrek dos desenhos animados; e Amy (23.º), cantora de soul morta em 2011.

 

Já para os machos, o nome mais escolhido é Thor, deus da mitologia nórdica que virou super-herói de história em quadrinhos e depois ganhou as telas do cinema. Vêm na sequência Bob (2.º), Fred (3.º), Billy (4.º) e Marley (5.º) - este último, inspirado no cantor jamaicano de reggae Bob Marley, também era o nome de um labrador dos Estados Unidos, cuja biografia foi narrada em livro e filme. O ranking tem Ozzy (13.º), Simba (21.º), Bidu (23.º) e Scooby (25.º).

Segundo a pesquisa, as fêmeas são maioria por pouco. Elas correspondem a 51% dos cães de estimação, enquanto os machos representam 49%. Os vira-latas, como são popularmente chamados cachorros que não têm raça definida, são a maior parte da amostra, com 25%. Em seguida, aparecem raças de pequeno porte: Shih Tzu (11%), Yorkshire (8%), Poodle (6%) e Lhasa Apso (5%).

A divisão por idade mostra predominância dos cachorros jovens. Os cães de 1 a 3 anos representam 41%, enquanto os filhotinhos de até 11 meses correspondem a 19% do total. Os adultos, de 4 a 8 anos, são 27%. Já os idosos, com mais de 8 anos, 13%.

 

Mais conteúdo sobre:
Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.