Central telefônica em Minas pode pertencer à rede de Beira-Mar

A Polícia Militar encontrou em um barracão de Contagem, na região metropoliana de Belo Horizonte, uma central telefônica digital clandestina, que pode pertencer à rede de comunicação montada pelo traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, preso no complexo Bangu I, no Rio de Janeiro. Segundo a PF, que assumiu as investigações na última quarta-feira, no barracão havia uma central digital com duas linhas fixas e dois radiotelefones celulares de grande alcance das marcas Nextel e Nokia.Também foram recolhidos documentos de uma mulher e um homem identificados como Ana Cristina Tavares de Almeida e Cléber José Rocha, ex-integrante das Forças Armadas. A polícia também encontrou uma extensa conta telefônica da operadora Telemar, em nome de Cristiane de Oliveira Soares, com vários números, no valor de R$ 6 mil, e agendas com nomes e matrículas de internos de penitenciárias mineiras. A central foi descoberta pelos policiais após a prisão de Cleiton Rubens Rocha, de 26 anos. Segundo o delegado de Tóxicos e Entorpecentes da PF em Minas, Cláudio Dornellas, Cleiton contou que nos próximos dias seria instalada na central uma linha telefônica DVI, para transmissão de dados em alta velocidade. "É o tipo de linha que Beira-Mar utiliza em suas centrais telefônicas", afirmou Dornellas. A PF está rastreando as ligações executadas pela central para tentar estabelecer maior conexão com o esquema montado pelo traficante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.