Centro do Rio vira praça de guerra entre camelôs e guardas

O centro da capital carioca viveu nesta sexta-feira mais um dia de batalha na guerra entre guardas municipais e camelôs, que usaram paus, pedras, morteiros e até caixotes de madeira como armas. Com medo, comerciantes fecharam as portas das lojas, que serviram de abrigo para pedestres em pânico. Sete pessoas, sendo quatro guardas, ficaram levemente feridas e três ambulantes foram detidos.A guarda municipal afirmou que as operações de repressão ao comércio ilegal vão continuar por tempo indeterminado.A primeira confusão ocorreu nas esquinas da avenida Rio Branco com a rua Sete de Setembro quando um camelô foi preso. Em resposta, três guardas municipais foram atacados por cerca de 30 camelôs. A situação parecia estar sob controle quando dezenas de camelôs concentrados no Largo da Carioca voltaram a atacar os guardas municipais com paus e pedras. Os agentes usaram escudos para se proteger da chuva de pedras portuguesas arrancadas das calçadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.