Centros empresariais vetam fumo até ao ar livre

Administradores de prédios na zona sul impõem mais restrições que a lei, temendo ser multados por fiscais

Vitor Hugo Brandalise, O Estadao de S.Paulo

11 Agosto 2009 | 00h00

Ao banir cigarros em suas dependências, complexos empresariais de São Paulo como World Trade Center (WTC), Centro Empresarial Nações Unidas (Cenu) e Plaza Centenário, o Robocop, todos na zona sul, têm orientado funcionários - e até clientes das empresas que abrigam - a fumar na rua. Em alguns casos, são até mais restritivos que a nova lei, ao proibir o fumo em qualquer área dentro de um perímetro definido, mesmo em espaços abertos ou calçadas que circundam os empreendimentos. Avaliando que a nova lei deixa pontos passíveis de confusão entre fiscais, a administração do Cenu - duas torres de escritórios, de 26 e 36 andares, na Avenida das Nações Unidas - definiu um perímetro em torno do complexo em que é proibido fumar. Mesmo no bulevar entre as duas torres, espaço aberto de 500 m², e nas calçadas em volta do empreendimento, a administração proibiu o cigarro. Quem descumpre a regulamentação é abordado por seguranças, que apontam para o outro lado da rua, ou para o asfalto do estacionamento do complexo. Para os condôminos terem certeza dos locais em que é permitido fumar, foram distribuídos mapas com as indicações. "Como a lei dá margem a interpretações diferentes, nos prevenimos. Indicamos exatamente onde não se pode fumar", explicou o gerente de Operações do Cenu, Amadeu Fábio Junior. "Elaboramos nossas normas a partir de um entendimento jurídico, mas não consideramos mais restritivas que a lei." Dez cinzeiros foram retirados e, em recipientes acoplados às lixeiras, a areia foi trocada por pedras brancas. No WTC, que abriga o Shopping D&D e o Hotel Sheraton, também na Nações Unidas, cinzeiros foram retirados das portas, e os seguranças têm ordem para indicar pontos onde se pode fumar - a calçada da Rua Geraldo Flausino Gomes, um canteiro central próximo ao Cenu ou a calçada da Marginal do Pinheiros. "Fumar na Marginal, com todos aqueles carros? Vou fumar mais rápido, para sair logo", diz o publicitário Thiago Castro, que trabalha no WTC. No Robocop, a três quadras dali, também foi definido um perímetro onde não se pode fumar, mesmo em espaço aberto. Seguranças indicam a rua ao lado, a Joel Carlos Borges. Na região da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, na zona sul, havia grupos de fumantes nas ruas ao longo do dia. Como resultado, bitucas e mais bitucas no chão. "Não vou deixar de fumar por isso, mas as ruas com certeza estão mais sujas", disse o gerente Marcos Spighel. "Como dá mais trabalho (ir até a rua), fumo três cigarros cada vez que desço." A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, responsável pela limpeza de sarjetas e bueiros, ainda não definiu novas diretrizes sobre esse tipo de sujeira. No Cenu, serão instaladas quatro coletores para bitucas "ainda nesta semana". WTC e Robocop não se pronunciaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.