Cerca de 1.200 militares ocupam favelas do Rio em busca de fuzis

O chefe de relações públicas do Comando Militar do Leste (CML), coronel José Guimarães Barreto Júnior, informou que já são 1.200 os militares que estão ocupando favelas do Rio, em busca dos dez fuzis e uma pistola roubados de um quartel do Exército, na semana passada.No domingo à noite, no Morro da Providência, na região central da cidade, uma bomba de fabricação caseira foi lançada em direção de soldados que estavam próximos do viaduto São Sebastião. Ninguém ficou ferido. Nesta manhã, a situação foi tensa nas imediações da favela, pois traficantes dispararam tiros em diversos momentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.