Cerca de 50 ossadas humanas são encontradas em lixão no Rio

Cerca de 50 ossadas humanas foram encontradas na madrugada desta segunda-feira no Aterro Sanitário de Jardim Gramacho, na Baixada Fluminense. Os ossos estavam ensacados e identificados com nome e endereço. A polícia acredita que tenham sido despejados irregularmente por algum cemitério. O caso está sendo investigado pela 59.ª Delegacia de Polícia (Duque de Caxias). Os sacos foram deixados por uma carreta da Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Rio de Janeiro (Comlurb). Quando funcionários do lixão, que é administrado pela empresa carioca, espalhavam o lixo despejado, um dos sacos se rompeu, deixando os ossos à mostra. A polícia foi chamada e descobriu-se que havia ossadas ainda com cabelos e restos de roupa. A Comlurb informou que não é possível identificar em que ponto da cidade os sacos foram recolhidos, porque todo o lixo coletado na cidade é levado para a Estação de Transferência de Lixo da Usina do Caju, despejado numa carreta maior e, então, transportado para o aterro sanitário. Policiais militares, policiais civis e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli passaram o dia no local, para tentar identificar de onde partiram as ossadas.

Agencia Estado,

20 Fevereiro 2006 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.