Cerimônia budista quer semear uma nova consciência em SP

Monges e adeptos da Associação Budista Agon Shu vão realizar neste domingo, dia 7 de setembro, em Diadema, São Paulo, a partir das 10 da manhã, a III Cerimônia do Fogo Sagrado ?pela paz e prosperidade da Grande São Paulo?, por meio de um processo de ?purificação cármica milenar, registrado em sutra do budismo original que permaneceu no anonimato durante quase 2.000 anos?.?Queremos que a cerimônia se transforme em um movimento social amplo, que congregue também representantes de outras religiões e as pessoas em geral", afirma o monge Keitaro Hayashi, presidente da associação no Brasil e provedor da Agon Shu para a América Latina. Segundo preceitos do budismo, a violência, a propagação das drogas e outras mazelas que dominam as grandes cidades atualmente são frutos de atos e pensamentos humanos negativos, acumulados ao longo da História, desde tempos remotos. E a conseqüência desses frutos são os carmas, que exercem uma influência destrutiva sobre as pessoas e o território onde vivem. O objetivo da cerimônia é purificar progressivamente esses carmas, que, de acordo com a doutrina, pesam tanto sobre a cidade quanto sobre sua população. O ritual é baseado, sobretudo, no processo de corte cármico decifrado pelo fundador do budismo, Buda Sakyamuni, e registrado no sutra Ágama. Nessa escritura, que permaneceu no esquecimento por quase 2.000 anos, constam os ensinamentos originais de Sakyamuni, segundo levantamento que atravessou décadas, realizado pelo líder espiritual Seiyu Kiriyama, fundador da Agon Shu. Esse Fogo Sagrado ?pode, aos poucos, despertar nas pessoas a esperança de um mundo melhor e a semente de uma nova consciência, de uma sabedoria adormecida que todo ser humano possui e que, naturalmente, é capaz de levá-lo a agir com outros valores, em direção à paz, à realização e à união dos povos, transcendendo religiões e culturas. Esses seriam os primeiros passos de uma grande transformação mundial", garante o monge Hayashi.A Cerimônia do Fogo Sagrado da Agon Shu é realizada anualmente em Kyoto, no Japão, desde 1976, sempre no dia 11 de fevereiro, com a participação de mais de 500 mil pessoas. E já foi celebrada em vários outros países da Ásia. No Brasil, o evento será realizado pela terceira vez. A primeira foi em 2000, também no Centro Cultural de Okinawa, em Diadema, São Paulo. E a segunda, em 2001, no Clube de Regatas Tietê, em São PauloParticipação Durante a cerimônia, a população também participa manifestando seus pedidos ? espirituais e materiais ? em pequenas madeiras com formatos de espátulas, denominadas gomaguis. Depois que uma grande fogueira é acesa, as pessoas atiram as madeiras preenchidas ao fogo. "Os gomaguis representam os carmas que serão queimados e purificados no Fogo Sagrado. Assim, os pedidos têm mais chance de serem atendidos e começa a nascer uma sintonia maior das pessoas com um mundo que transcende a força comum humana", explica Keitaro Hayashi.Serviço Cerimônia do Fogo Sagrado: Centro Cultural de Okinawa, Av. Sete de Setembro, 1670, Diadema (travessa da Rua Tiradentes). Dia 7 de setembro (domingo), a partir das 10 da manhã (o local já estará aberto ao público a partir das 9h da manhã). Entrada franca. A previsão é de que o encerramento aconteça às 12h30. No dia do evento haverá um microônibus (para 25 pessoas) na sede da Agon Shu (Rua Getúlio Vargas Filho, 131, próximo ao metrô Jabaquara, que irá até o local às 7h30, 8h30 e 9h30 da manhã, ao preço de 2 reais por pessoa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.