Cesar Maia defende permanência do Exército em favelas

O prefeito do Rio, Cesar Maia (PFL), disse, na manhã desta quarta-feira, que o Exército já teria localizado as armas roubadas antes da recuperação feita ontem. "É o que me disseram. Eu trabalho com as informações que eu tenho, que as armas tinham sido localizadas e que se encontrou o melhor momento - e eu acho que foi o melhor momento mesmo - para a apresentação das mesmas", disse Cesar Maia. De acordo com ele, "a entrada na Rocinha tem um peso muito grande porque a Rocinha responde por 35% do tráfico de drogas no varejo no Rio de Janeiro". O prefeito defendeu a permanência do Exército, principalmente nas favelas da Rocinha, da Maré, do Jacarezinho, e do Complexo do Alemão. "Se o Exército estivesse só nesses quatro pontos a situação no Rio seria muito diferente da que é hoje". Cesar Maia disse ainda que acha que é perda de tempo se o Exército "está presente só para lavar sua honra", mas considera que a ação é muito positiva "se ele está aqui para dizer que sua presença será a qualquer momento possível, provável, utilizável e que estará a qualquer momento dando o respaldo básico de que nós precisamos no Rio de Janeiro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.