CET dá sinal verde para multar quem usa fone de celular

Os agentes de fiscalização da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) receberam nesta quinta-feira sinal verde para autuar os motoristas que estiverem usando fones de ouvido conectados a telefones celulares enquanto dirigem. Segundo informações de funcionários da CET, a orientação é de primeiro advertir o motorista infrator. Se a orientação não for seguida, o motorista deverá ser autuado. Os Estados estavam autorizados pelo Denatran a autuar os motoristas com fones de ouvido de celular desde setembro, contanto que a população fosse orientada antes. Em São Paulo, as multas já poderiam estar sendo dadas desde outubro, mas só ontem a CET determinou aos marronzinhos que assim procedessem, entregando a eles um papel que contém o código para o enquadramento do motorista infrator (736-61 e 736-62) e a maneira de proceder nas autuações. A assessoria de imprensa da CET nega a informação, dizendo que esse tipo de notificação já era feita. Quem possui viva-voz não será autuado, apenas aqueles que estiverem com o fone conectado a celular. A infração é considerada média e a multa é de R$ 85. Segundo fontes na CET, estão na mira da companhia ainda os fones conectados a aparelhos sonoros, mas a determinação de autuar quem estiver com discman, por exemplo, ainda não foi transmitida aos marronzinhos. Ambas as proibições estão contidas no artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro. "Acho errado multar. O fone de ouvido atrapalha tanto quanto ouvir rádio e conversar com outra pessoa no carro. Então teriam que proibir essas coisas também", reclama o empresário Antônio Capóia, de 41 anos. Ele comprou um fone há seis meses pelo preço de R$ 180. "Deveriam proibir, então, o lançamento de um produto assim, antes de vender para todo mundo", prossegue ele que, afirma, vai continuar usando o fone. A medida pode gerar confusão. Usar óculos com cordinha de apoio no pescoço, por exemplo, será um perigo, pois ela poderá ser confundida, de longe, com um fone. Um agente de trânsito, que não quis se identificar, confirma: "Ficaria complicado de identificar. Pensaria que era um fone de ouvido e autuaria.""Acho um exagero multar, porque dentro do carro as pessoas manipulam coisas. E se usar num ouvido só, não está tapando a audição", opina o gerente de produtos Carlos Augusto Carvalho, de 41 anos, que usa o aparelho. Até mesmo quem detesta o fone é contra a multa. "Teriam que alertar primeiro a população para depois multar", diz Dorotéia Donatti, de 44 anos.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2002 | 03h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.