CET diz que greve de marronzinhos não afeta serviços em SP

A assessoria de imprensa da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa que, apesar da paralisação dos funcionários do órgão, praticamente todos os serviços prestados pela empresa estão mantidos esta manhã em São Paulo. Conforme o sindicato da categoria, parte dos funcionários cruzou os braços hoje para reivindicar aumento salarial de 17,49%, e mais 4% de reajuste que deveria ter sido concedido em janeiro, fato que até agora não aconteceu. A companhia ofereceu reajuste de 4%, mais um aumento de 5%, proposta que não foi aceita pelos trabalhadores. De acordo ainda com a entidade, que reúne cerca de 3,4 mil filiados, estão parados empregados do setor administrativo, de sinalização, da zona azul e os chamados "marronzinhos". O sindicato divulgou que está sendo realizado um levantamento para tentar saber o número de trabalhadores que aderiram ao protesto. Já para a Companhia de Engenharia de Tráfego, apesar da posição do sindicato, o movimento até agora não foi suficiente para afetar a infraestrutura de trânsito existente na cidade. Em entrevista concedida está manhã à reportagem da Rádio Eldorado, o engenheiro e gerente da Central de Operações da CET, Sebastião Muniz, declarou que entre 75% e 80% dos empregados estão trabalhando normalmente e que, se existe de fato paralisação, ela ainda não está sendo sentida. Segundo a CET, o rodízio de veículos não foi suspenso, não há registro de problemas com a manutenção de semáforos e a fiscalização continua sendo feita normalmente em toda a cidade. Amanhã, os funcionários deverão retomar normalmente suas atividades. À noite, no entanto, eles farão assembléia para avaliar o movimento e poderão deflagrar greve por tempo indeterminado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.