CET diz que não restringe estoque dos blocos

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) afirma que a falta de talões nos postos de venda é resultado do "aumento da demanda" e não de uma possível restrição na distribuição dos blocos para evitar estoques antes do reajuste. "Essa estratégia não existe", informou, em nota, a companhia . "A CET está trabalhando para repor os estoques nos distribuidores e entregará todos os talões disponíveis." Existem 3.700 postos de venda autorizados. Cada distribuidor tem "cota de aquisição de talões" firmada em contrato. Já a repressão aos flanelinhas é de responsabilidade da polícia, segundo a companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.