CET nega operação-padrão de marronzinhos em São Paulo

A assessoria de imprensa da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) distribuiu nesta terça-feira uma nota sobre as demissões que ocorreram na empresa e que geraram protestos de funcionários e do sindicato da categoria. Segundo a nota, a CET teve de iniciar um programa de demissão voluntária (PDV) por causa das "restrições orçamentárias" que obrigaram a empresa a "adequar a previsão de receita àsdespesas".A CET informou que o impacto do PDV sobre o corte de despesas ainda será avaliado. "Tal medida foi necessária tendo em vista o orçamento anual aprovado de R$ 182 milhões, frente a despesas com pessoal de R$ 178 milhões", diz a nota.A CET está estudando outras medidas, como a reestruturação da empresa, a racionalização de procedimentos internos e a priorização da operação de tráfego que serão adotadas, de acordo com a CET, "sem prejuízo das condições de segurança e fluidez do transporte e do trânsito na cidade de São Paulo".A promessa da Secretaria Municipal dos Transportes é que a CET está elaborando "um amplo e ambicioso programa de modernização tecnológica" que tornará a empresa mais eficiente. Segundoa assessoria da CET, os funcionários estão colaborando com a empresa, e as informações sobre uma suposta "operação padrão" realizada pelos marronzinhos não ocorreu."As autuações estão sendo feitas normalmente", afirmou um assessor. Ele disse que na última quinta-feira foram aplicadas 7,3 mil multas e que nesta terça as multas aplicadas por funcionários da CET somaram 6,8 mil, ambas dentro da média.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.