CET pode terceirizar fiscalização, diz secretário

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou, nesta sexta-feira à tarde, que aCompanhia de Engenharia de Tráfego (CET) está dialogando há meses com os funcionários da empresa e que não é verdade que afirmações de funcionários que digam o contrário.Durante entrevista concedida nesta sexta à Rádio Eldorado-Estadão AM, Tattonão descartou a hipótese de a Prefeitura adotar a terceirização no setor. "Podemos iniciar um processo de discussão de terceirização de parte da fiscalização na cidade de São Paulo até, para quando acontecer esse tipo de situação, a cidade não ficar à mercê de sindicato", argumentou.Para o secretário, a CET precisa passar por uma reestruturação para não ter grande parte do seu orçamento anual comprometido com a folha de pagamento. "Nós não podemos usar quase todo o dinheiro da empresa para pagar apenas o pessoal, nós precisamos investir em sinalização, na modernização dos faróis, do controle paraaumentar a segurança das pessoas", defendeu-se.Tatto informou que entre os demitidos estão funcionários que recebem salários superiores a R$ 8 mil, "maior do que ganha a prefeita de São Paulo". O secretário também garantiu que as demissões não afetarão os motoristas. "É bomque se diga, na parte operacional daqueles que efetivamente estão na rua, ou na partedo planejamento dos chamados marronzinhos, nenhum funcionário está sendo demitido. É uma reestruturação administrativa que não vai afetar em nada a situação na cidade de São Paulo e do trânsito", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.