Cetesb aponta estado de atenção em três pontos da capital

A atuação de uma massa de ar quente que vem provocando altas temperaturas e muitas horas de insolação na Grande São Paulo deixaram a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) em alerta desde a tarde de terça-feira, 27.De acordo com o boletim divulgado pela Cetesb na tarde de terça, três regiões (Ibirapuera, Santo Amaro e Diadema) atingiram o estado de atenção na qualidade do ar. Este índice foi declarado por conta das altas concentrações dos poluentes atmosféricos e condições meteorológicas desfavoráveis à dispersão dos poluentes.Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura (CGE), até o final desta semana, as temperaturas continuarão altas por causa de uma forte massa de ar quente e seco que se instalou em São Paulo e está impedindo a chegada de uma frente fria. "Apenas no início da semana que vem, entre os dias 6 e 9 de abril, a chegada de uma frente fria ocasionará uma queda de temperatura, que não será muito grande, mas amenizará este calor na região metropolitana de São Paulo", explica o meteorologista da CGE, Adilson Nazário.Informações do CGE dão conta de que umidade do ar, em algumas regiões, atingiu índices baixíssimos por causa do tempo seco na terça-feira. Nas estações Perus e Jaçanã/Tremembé a média ficou em 18%, índice considerado ruim pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Nas estações Itaquera e Vila Prudente o índice também ficou baixo e atingiu 19%.Na manhã desta quarta-feira, 28, o CGE registrou índices mais altos em comparação aos observados na tarde de terça. Nas estações de Perus e Parelheiros o índice alcançou 41%, número considerado bom pela OMC e na estação Centro foi registrado 51%.O CGE lembra que, de acordo com a OMS, quando a umidade do ar estiver entre 20% e 30%, os exercícios físicos ao ar livre devem ser evitados entre as 11 até às 15 horas. O CGE informa também que a baixa umidade causa alguns problemas de saúde como irritação nos olhos, garganta e narinas, ressecamento da pele e problemas respiratórios e alérgicos, principalmente em crianças e idosos.A OMS e a Secretaria de Estado da Saúde recomendam umidificar os ambientes com vaporizadores ou recipientes com água, consumir água, sucos naturais e água de coco e que o uso do soro fisiológico pode amenizar a irritação dos olhos e narinas.

Agencia Estado,

28 de março de 2007 | 11h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.