Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Chacina deixa 6 mortos e 9 feridos durante partida de futebol no AM

Indícios apontam que os homicídios são resultado da disputa de facções criminosas rivais pelo tráfico de drogas em Manaus

Marcia Oliveira, especial para o Estado

13 de dezembro de 2017 | 15h08
Atualizado 13 de dezembro de 2017 | 22h21

MANAUS - Seis pessoas morreram e nove ficaram feridas durante uma partida entre dois times de futebol amador na noite desta terça-feira, 12, em Manaus. De acordo com testemunhas, homens encapuzados atiraram dezenas de vezes contra os jogadores. Os bandidos usaram fuzis. 

+++ Rebelião em presídio deixa 56 mortos em Manaus

As vítimas, todos homens, tinham entre 17 e 33 anos. Entre os feridos, sete já deixaram as unidades de saúde e dois continuam internados - um deles é um adolescente de 16 anos, vítima de vários disparos, em estado gravíssimo. 

+++ Sobreviventes de massacre em Manaus foram torturados e tiveram de comer olhos humanos

O crime aconteceu em um campo no bairro da Compensa, na zona oeste manauara. Os três veículos usados pelos autores dos disparos já foram localizados pela polícia amazonense, que investiga o caso. 

+++ Seis detentos são mortos em presídio de Manaus

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os indícios apontam que os homicídios são resultado da disputa de facções criminosas rivais, na disputa pelo tráfico de drogas. A principal organização criminosa da região é a Família do Norte (FDN).

Ainda de acordo com a pasta, a área de inteligência de segurança trabalha com um alerta de confronto entre facções na cidade. Houve também reforço do policiamento nas ruas e, até agora, não há registro de novos crimes em retaliação à chacina.

 

 

Força Nacional

Nesta semana, o Ministério da Justiça autorizou a permanência da Força Nacional no Amazonas até 31 de março. Os agentes federais foram enviados ao Estado em janeiro, após um massacre deixar 56 detentos mortos dentro de um presídio em Manaus. Investigação do Ministério Público Estadual apontou que as mortes foram por ordem de líderes da FDN detidos em presídios federais e mirava membros da facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC).

Tudo o que sabemos sobre:
Manaus [AM]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.