Google Street View
Google Street View

Chacina em Tapanã, no Pará, deixa 10 mortos

Caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil

Jéssica Otoboni e Roberta Paraense (especial para O Estado), O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2018 | 08h23
Atualizado 30 de outubro de 2018 | 16h42

SÃO PAULO - A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) informou que 10 pessoas morreram em uma chacina no bairro de Tapanã, em Belém (PA), na tarde desta segunda-feira, 29. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

O órgão disse que 11 pessoas foram baleadas e cinco delas morreram no local do crime. Seis foram encaminhadas à Unidade de Pronto Atendimento do Tapanã, onde cinco não resistiram aos ferimentos e uma vítima permanece internada.

Segundo a Secretaria, policiais civis fazem policiamento na região do crime em busca de informações sobre os suspeitos. Autoridades pedem que qualquer informação seja repassada anonimamente pelo Disque-Denúncia, no 181. 

O episódio, que já está sendo tratado como 'Chacina do Tapanã', aconteceu após cinco dias do assassinato de um policial no mesmo bairro. O sargento da Polícia Militar João Batista Menezes Dias, foi morto com tiros na cabeça. A sequência de baleamento teve início por volta das 18h. Testemunhas contam que quatro homens em duas motocicletas percorreram várias ruas da região, efetuando os disparos contra jovens que estavam, aleatoriamente, em via pública. As vítimas tinham entre 18 a 25 anos de idade e eram homens. 

 Os primeiros homicídios foram registrados na área conhecida como "Capucho", local em que o policial também foi alvejado. Dois  rapazes conversavam próximos às suas casas, na rua das Violetas, quando foram surpreendidos pelos meliantes. Thiago Luiz Moraes dos Santos, 23 anos, e Jacob Almeida Braga de 22, eram amigos de infância e vizinhos.

 Na sequência, já  na rua Maria de Nazaré, próximo à estrada da Piçarreira, o vendedor Moisés Pereira de Moraes, 22, também foi perseguido pelos homens na motocicleta e morto na hora. Segundo testemunhas, um carro branco dava cobertura à ação. Enquanto comprava limão em um pequeno comércio da região, Manoel Edilasio Moraes dos Santos, 25, também sofreu vários disparos e morreu no local. 

 Os motociclistas continuaram fazendo vítimas, desta vez, a mira foi para o jovem Fernando Pantoja da Costa, 18. Ele foi baleado na rua Almirante Tamandaré, próximo à Passagem Uberaba. Na local, rege a lei do silêncio. Com medo, os moradores dizem que não viram e nem ouviram nada da ação. O clima foi tenso no bairro durante a madrugada desta terça-feira. O policiamento ostensivo foi reforçado. Com a quantidade de corpos, a equipe do Instituto Médico Legal (IML) teve de acionar reforço também. 

A Segup informou que de janeiro a 30 de outubro de 2018, 39 Policiais Militares foram mortos vítimas de crimes com característica de latrocínio e/ou execução no Pará, além da morte de dois investigadores de Polícia Civil, três agentes penitenciários, três guardas municipais, e um soldado da Marinha do Brasil, totalizando 48 agentes da segurança pública. Dos 39 homicídios de PM's, 24 estão com autoria presa, morta ou identificado, com mandato de prisão decretado, e 15 ainda estão em apuração.

Tudo o que sabemos sobre:
Pará [estado]chacinaBelém [PA]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.