Chefe da Dersa nega elo com esquema PC

Acusado pela bancada do PT na Assembleia de São Paulo de ter integrado o esquema PC no governo Collor, o presidente da Dersa, José Max Reis Alves, negou envolvimento em irregularidades. Em nota, Max anotou que, em 1991, foi secretário de Administração Geral do Ministério de Fazenda como ordenador de despesas - gestão da ministra Zélia Cardoso -, e autorizava pagamentos "sempre com os devidos comprovantes".

, O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2010 | 00h00

Segundo o PT, Max teria recebido US$ 53 mil de uma empresa do esquema PC. "A partir da denúncia do Ministério Público, em 1994, contra a Zélia, meu nome foi citado na ação, mas sequer fui arrolado como testemunha."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.