Chefe de gabinete reprime protesto de policiais

Os policiais civis que protestavam nesta terça-feira, em Porto Alegre, pela morte de um colega, ocorrida na véspera, durante a apresentação de uma intimação, na Vila Cruzeiro do Sul, enfrentaram uma cena inusitada. Ao perceber as viaturas da Polícia estacionadas em frente do Palácio Piratini, sede do governo gaúcho, o chefe de gabinete do governador Olívio Dutra (PT) decidiu tirar satisfação. Com uma prancheta na mão, Laerte Meliga começou a anotar as placas dos automóveis e ameaçou os manifestantes de sindicância e prisão. "Era um protesto espontâneo, de emoção pela morte de um colega, a terceira deste ano, e não se justificava uma reação como esta", disse Adélia Porto, presidente do Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores (Ugeirm). O inspetor Gilberto Meda Leites, 42 anos, foi assassinado com quatro tiros quando se deparou com dois homens que fugiam de um assalto a um minimercado, nas proximidades.Ele foi enterrado nesta segunda-feira, com a presença de dezenas de colegas, que depois fizeram uma carreata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.