Chefe do crime em Mato Grosso é condenado a 37 anos

O bicheiro João Arcanjo Ribeiro, de 53 anos, o Comendador, foi condenado hoje à revelia a 37 anos de prisão por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e crime contra o sistema financeiro. Também foram condenados pelo mesmo crime a penas de 25 anos de prisão a esposa dele, Sílvia Shirata, Edson Freitas, Luiz Dondo, Adolfo Sesini, David Bertoldi e Nilson Teixeira. A sentença é do juiz da 1ª Vara Federal Julier Sebastião da Silva, que em julho já havia condenado o Comendador a 7 anos de cadeia pelo porte ilegal de armas e receptação de produtos contrabandeados. A Justiça determinou ainda a perda de todos os bens de Arcanjo em favor da União. Acusado de chefiar crime organizado em Mato Grosso, o bicheiro está preso no Uruguai desde 10 de abril e responde a cinco processos: contrabando, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e homicídios.Arcanjo é acusado ainda de mandar matar o jornalista e empresário Sávio Brandão, dono do jornal Folha do Estado, de Cuiabá. O jornalista foi assassinado em 30 de setembro de 2002, depois de denunciar os crimes e negócios ilícitos do Comendador. O autor do crime que confirmou o mandante, o ex-PM Hércules Araújo Agostinho, foi condenado a 18 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.