Chefe do Incra é acusado de favorecer sem-terra

RIO GRANDE DO SUL

, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2010 | 00h00

O Ministério Público Federal ajuizou ação de improbidade administrativa contra o superintendente do Incra no Rio Grande do Sul, Mozar Dietrich, por suposta prática de irregularidades como permissão para permanência de acampamentos de sem-terra dentro de áreas destinadas a assentamentos, omissão diante do arrendamento de lotes da reforma agrária e incitação a atos criminosos do MST desde 2008 em Nova Santa Rita, região metropolitana de Porto Alegre. O procurador da República Adriano Raldi acusa Dietrich de exorbitar suas atribuições e atuar como "agente político" em favor dos acampados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.