Chega a 117 número de mortes em Santa Catarina

Em Florianópolis, cerca de 40 pessoas foram retiradas às pressas de morro após alerta

Redação,

02 de dezembro de 2008 | 23h43

Aumentou para 117 o total de mortes provocadas pelas chuvas em Santa Catarina. A última morte confirmada é a de Herbert Raduenz, de 51 anos, morador de Timbó, no Vale do Itajaí. Segundo a Defesa Civil, ele havia sumido no último dia 24, mas seu nome não constava da lista de desaparecidos. Com isso, o número de pessoas procuradas permanece em 31. Ilhota mantém o maior de óbitos: 37. Em seguida, aparecem Blumenau, com 24, e Gaspar, com 16. Os alagamentos e deslizamentos de terra deixaram 21.219 pessoas desabrigadas e 47.895 desalojadas - 69.114 ao todo. Nesta terça, quase 10 mil pessoas voltaram para suas casas.   Veja também: Defesa Civil subestima número de desaparecidos em SC SC contabiliza R$ 12,1 milhões em doações; veja como ajudar Mais de 5,5 mil imóveis continuam sem luz Situação de solo não mudou em SC, diz IPT Desvio é feito na principal ligação entre PR e SC IML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas       Alerta em Florianópolis   Cerca de 40 pessoas foram retiradas às pressas no início da noite desta terça-feira, 2, do Morro da Costa de Cima, no bairro Pântano do Sul, no Sul da Ilha de Florianópolis. O alerta para as famílias deixarem suas residências foi feito por uma força-tarefa composta de geólogos e geógrafos, técnicos da Fundação do Meio Ambiente (Floram), engenheiros da Secretaria de Obras da Prefeitura e de funcionários da Defesa Civil. Foi identificada uma "fenda" na localidade onde moram 14 famílias.   Conforme o secretário da Defesa Civil, Máximo Porto Selene, já ocorreram erosões no topo da montanha e a área de deslizamento é cerca de três vezes maior do que a área de um morro que desmoronou no quilômetro 14 da SC-401, no Norte da Ilha, semana passada que continua impedindo o tráfego. Técnicos da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) avaliam a evolução do perigo no Morro da Costa de Cima.   (Colaborou Julio Castro)    

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.