Chega a 80 número de cidades em emergência pelas chuvas em Minas

Desde outubro, Estado registrou 16 mortes em decorrência dos temporais

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2011 | 16h20

BELO HORIZONTE - A chuva fez que mais seis cidades do interior de Minas Gerais decretassem estado de emergência. Com elas, chega a 80 o número de municípios mineiros que recorreu à medida desde o início do período chuvoso, em outubro do ano passado.

 

Na madrugada de hoje, São Lourenço, no sul do Estado, que já havia decretado emergência há mais tempo, voltou a ser castigada pela água. O temporal fez com que o nível do rio Verde, que corta o município, subisse mais de um metro, causando inundações em ruas e casas de diversos bairros. Segundo o Corpo de Bombeiros, em algumas áreas da cidade a água quase cobriu residências. Com isso, 110 famílias ficaram desalojadas e ao menos dez perderam as casas ou tiveram as residências interditadas.

 

São Lourenço fica na área que, ao lado da Zona da Mata, na divisa com o Rio de Janeiro, foi a mais afetada pelos temporais em Minas até o momento. No entanto, hoje a Coordenadoria Estadual de Defesa civil divulgou alerta meteorológico alertando que a frente fria que estava sobre o Estado está se dissipando, mas ainda há possibilidade de chuva até o meio da próxima semana, inclusive nas regiões metropolitana de Belo Horizonte, oeste, e do Triângulo Mineiro.

 

As cidades que decretaram situação de emergência na sexta-feira pro causa de enxurradas e inundações foram Açucena, no Vale do Rio Doce; Miradouro, na Zona da Mata; Lagamar, no noroeste de Minas; e Aiuruoca, Careaçu e Alagoa, todas no sul do Estado. A região foi visitada pelo governador Antonio Anastasia (PSDB). Até o momento, o governo reconheceu a situação de emergência em apenas seis cidades e 46 decretos ainda estão em análise.

 

Desde outubro, Minas registrou 16 mortes por causa da chuva. No mesmo período, 1,2 milhão de pessoas foram afetadas pelos temporais, que deixaram ainda 17,1 mil desalojados e 2,3 mil desabrigados. A chuva ainda destruiu 233 casas e 104 pontes.

Mais conteúdo sobre:
chuvasMinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.