Cheias deixam dezenas de pessoas desabrigadas no RS

Em Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, 59 famílias estão ilhadas pela cheia do rio dos Sinos; perspectiva é de que águas baixem a partir desta terça

Elder Ogliari, de O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2010 | 20h02

PORTO ALEGRE - A cheia dos rios forçou dezenas de pessoas a deixarem suas casas desde sábado, na metade sul do Rio Grande do Sul. Em Alegrete, o rio Ibirapuitã subiu 8,4 metros acima do nível médio e forçou 11 famílias a procurarem abrigo em casas de parentes e amigos.

 

Em Dom Pedrito, o rio Santa Maria subiu cinco metros. Quatro famílias tiveram de sair de suas residências. Em Rio Grande, o arroio das Cabeças transbordou e ameaçava entrar em casas próximas às margens. Em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, 59 famílias estão ilhadas pela cheia do rio dos Sinos.

 

A perspectiva é de que as águas baixem a partir desta terça-feira. A segunda-feira já foi um dia seco e não há previsão de chuvas fortes para o restante da semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.