Cheias deixam estado do Amazonas em situação de emergência

Governador vai assinar decreto nesta quinta; 17 dos 62 municípios já estavam nesse estado por causa das altas

Rita Cirne, estadao.com.br

02 de abril de 2009 | 14h13

O governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), vai assinar nesta quinta-feira, 2, o decreto que deixa todas as cidades do Estado em situação de emergência em função das cheias dos rios. A decisão abrange 62 municípios que deverão enfrentar neste ano a maior enchente dos últimos 56 anos, segundo a Defesa Civil estadual.

 

Veja também:

linkRio Negro atinge nível mais alto em 106 anos

 

Na tarde de quarta-feira, 1º, foi criado o Grupo de Ações Coordenadas, formado por 15 órgãos, como o Corpo de Bombeiros, Forças Armadas e a Polícia Militar, coordenados pela Defesa Civil. A proposta é acelerar o processo de ajuda às cidades mais atingidas pelas cheias, como as que estão situadas próximas aos rios Purus, Juruá e Alto Solimões.

 

Dos 62 municípios do Amazonas, 17 já haviam decretado estado de emergência e serão os primeiros a receber os recursos que o governo irá buscar junto à União. O governo deve ser iniciar, com a ajuda das Forças Armadas, uma operação para mandar remédios, comida não perecível e combustíveis para esses municípios.

 

Segundo a Defesa Civil do estado, a situação mais crítica deve ocorrer no mês de junho, segundo as projeções do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que prevê cheias também atingindo a capital do Estado, Manaus.

Tudo o que sabemos sobre:
Amazonasrioschuvas no AMcheias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.