Cheirando a gasolina, morador de rua se refugia em bar

No início da madrugada desta sexta-feira, na Vila Guilherme, zona norte de São Paulo, um morador de rua, assustado e com parte da roupa cheirando a gasolina, refugiou-se em um bar para pedir auxílio. Segundo testemunhas, o andarilho parecia estar fugindo e ter escapado de um ataque, no qual o agressor pretendia atear fogo no corpo da vítima. "O pessoal ofereceu um copo de cerveja para ele, e ele não recusou. Mas ao oferecermos um lanche, só comeu após um de nós experimentar na frente dele; disse que podera estar envenenado", disse o comerciante Davi Valentini, dono do bar. Esse episódio aconteceu na rua Rua Amazonas da Silva, paralela à Rua Dona Santa Veloso, onde, na manhã de quinta-feira, o morador de rua Daniel Francisco da Silva foi encontrado morto, com o pescoço cortado por uma facada. De acordo com a polícia, quatro testemunhas afirmaram que Silva havia envolvido-se em uma briga com outro indigente. A polícia afastou ligação com a chacina no Centro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.