Chile pede extradição de seqüestrador de Olivetto

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, recebeu nesta segunda-feira o pedido de extradição de Mauricio Fernandez Norambuena, feito pelo governo do Chile. O chileno foi condenado no Brasil a 16 anos de prisão pelo seqüestro do publicitário Washington Olivetto, levado em 11 de dezembro de 2001 e libertado em 2 de fevereiro de 2002. Preso desde fevereiro em São Paulo, Norambuena foi condenado no Chile à prisão perpétua pelo atentado que resultou na morte do senador Jaime Guzmán, em abril de 1991, na cidade de Santiago, e pelo seqüestro, em 1992, de Cristián Edwards, herdeiro do jornal "El Mercurio". O pedido do governo do Chile foi encaminhado ao STF na semana passada pelo ministro da Justiça, Paulo de Tarso Ramos Ribeiro. Caberá ao relator da extradição, ministro Celso de Mello, decidir. Em fevereiro, o presidente do STF, Marco Aurélio Mello, previu que, em um eventual julgamento, o tribunal deveria conceder a extradição. "Se ele é acusado lá no Chile da prática de delito e se o fato for crime no Brasil, e não houver prescrição, fatalmente nós teremos o deferimento da extradição" afirmou Marco Aurélio na época. O presidente do Supremo disse que caberá ao Executivo brasileiro decidir se entrega Norambuena ao Chile antes do cumprimento da pena pelo seqüestro de Washington Olivetto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.