Paulo Liebert/Estadão
Paulo Liebert/Estadão

Chimpanzés escapam de santuário, tentam entrar em casa e apavoram família em Sorocaba

Primatas foram até a varanda e começaram a esmurrar a porta na tentativa de entrar na casa

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2017 | 10h46

SOROCABA - Dois chimpanzés que fugiram de um santuário ecológico tentaram invadir uma casa e deixaram a família em pânico, na noite do domingo, 8, em Sorocaba, interior de São Paulo.

Os animais fazem parte do acervo do Santuário de Primatas de Sorocaba, filiado ao Projeto dos Grandes Primatas (GAP) internacional e escaparam da área cercada com muros e alambrados. 

Conheça os chimpanzés que estão no interior de São Paulo 

Morador de uma chácara vizinha, o autônomo Matheus Pepp Valentim da Silva, de 34 anos, foi avisado da fuga por funcionários da instituição e se trancou em casa com os cinco filhos. De acordo com seu relato, os chimpanzés foram até a varanda e começaram a esmurrar a porta na tentativa de entrar na casa. Os animais bateram com tanta força que a fechadura se quebrou. 

Matheus e os filhos usaram sofás e outros móveis da casa para fazer uma barreira junto à porta. Uma janela da chácara também foi danificada. 

Os primatas foram afastados do local, por volta das 21 horas, pelo cachorro da família, que investiu contra os invasores.

Em área de 560 mil metros quadrados, à margem da Rodovia Castelo Branco, o santuário de Sorocaba abriga cerca de 250 animais selvagens, entre eles cerca de 50 chimpanzés. Várias famílias, no entanto, vivem em chácaras no entorno da instituição.

A direção do GAP confirmou a fuga de dois chimpanzés e informou que todos os procedimentos de segurança foram adotados para que os animais fossem levados de volta para seus recintos. Ainda segundo o GAP, os danos causados ao sítio vizinho serão recuperados, porém ninguém ficou ferido.

Mais conteúdo sobre:
Sorocaba [SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.