Chinês preso no Rio passa por nova cirurgia

O secretário especial de Direitos Humanos da Presidência da República, Nilmário Miranda, solicitou à Polícia Federal (PF) que investigue o caso do chinês naturalizado brasileiro Chan Kim Chang, de 46 anos, encontrado desfalecido e com ferimentos no rosto e hematomas no corpo numa cela do Presídio Estadual Ary Franco, em Água Santa, na quarta-feira. Chang havia sido detido segunda-feira no Aeroporto Internacional Tom Jobim por agentes federais, que o levaram para o presídio no dia seguinte. De acordo com a PF, ele tentava embarcar para os EUA com US$ 31 mil e foi autuado por evasão de divisas.A Superintendência da PF no Rio, que instaurou inquérito para apurar o caso, informou hoje que, logo após a prisão, o chinês foi submetido a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal que "atestou sua perfeita integridade física". Ainda segundo a nota divulgada pela PF, ele foi levado para o presídio na terça-feira e, no dia seguinte, quando agentes federais voltaram à carceragem para cumprir um alvará de soltura, constataram que Chang estava desacordado.O chinês está internado em coma na UTI do Hospital Estadual Salgado Filho, no Méier e foi submetido hoje a mais uma cirurgia - a segunda - para drenagem de sangue no cérebro. Miranda entrou em contato com o secretário estadual de Direitos Humanos, João Luiz Pinaud, que hoje foi ao hospital e ouviu parentes de Chang. O diretor do presídio, major Luiz Gustavo Matias, alega que o chinês se feriu sozinho. Segundo o relato de agentes penitenciários que estavam de plantão, disse ele, o chinês estava alterado e teria se ferido batendo com a cabeça numa gaveta de um dos arquivos de metal do setor de identificação.Este mês completa um ano da morte do auxiliar de cozinha Antônio Gonçalves de Abreu, espancado no interior da carceragem da Superintendência da PF no Rio. Ele era acusado de assassinar um agente federal. O Ministério Público Federal denunciou 13 pessoas por tortura ou omissão de socorro.

Agencia Estado,

31 de agosto de 2003 | 20h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.