Chinês vítima de roubo é preso junto com os ladrões

Vítima de um assalto praticado por dois homens que invadiram sua casa na Rua Caramuru, na Vila Clementino, zona Sul, o comerciante chinês Chun Neng Te, de 42 anos, ficou aliviado com a intervenção de PMs que, depois de um tiroteio, prenderam a dupla. O alívio, porém, durou pouco, pois a polícia encontrou na casa ele farto material ilícito. Chun era procurado pela Justiça de Alagoas, por estelionato.A invasão na residência aconteceu na manhã desta quarta-feira. Além de Chun Neng Tem, estavam na casa a mãe de 71 anos e uma irmã. Avisados, policiais militares realizaram um grande cerco. A dupla estava armada com dois revólveres de calibre 38. Apesar do tiroteio, ninguém ficou ferido e os bandidos, Manassés Elias Efraim de Jesus, de 20 anos, e Chen Ping, de 29, se entregaram. Eles contaram que o objetivo era levaram o que havia num depósito, no fundo. Ao entrar no cômodo os PMs encontraram dezenas de celulares, notebooks, outros equipamentos eletro-eletrônicos, grande quantidade de dólares, CPFs falsificados, espelhos para confecção de carteiras da OAB, entre outros materiais ilícitos. Foi também encontrada uma pistola de calibre 380 pertencente ao dono da casa, que saiu algemado, como os ladrões.Levados ao 16º DP ? Vila Clementino, Manassés se apresentou como jogador de futebol e seu comparsa, como comerciante. Ambos foram autuados em flagrante por roubo e resistência à prisão. Quando foram verificados os antecedentes de Chun, o delegado titular, Carlos Eduardo Silveira, constatou que, além de ter diversas passagens na polícia, o comerciante chinês está condenado a 9 anos de prisão, por estelionato, pela Justiça alagoana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.