Chope de uva faz sucesso em Campinas

Uma bebida artesanal tornou-se o produto mais consumido num bar do distrito de Sousas, em Campinas. Incorporado ao cardápio há dois anos, o chope de uva responde por 30% das bebidas vendidas no Bar Ideal. Mais gasoso e um pouco menos doce do que um vinho espumante, tem sabor marcante de uva, coloração rubi e a indefectível espuma do chope comum. Segundo um dos proprietários do bar, Walter Stervid, são consumidos por semana cerca de 180 litros do chope de uva, 80 a mais do que o similar à base de cevada. "Tem gente que vem ao bar exclusivamente para experimentar a bebida", diz Stervid. Embora o lucro seja menor, ela é um chamariz. O copo de 280 mililitros do chope de uva custa para o consumidor R$ 3,40. Já o chope comum sai por R$ 2,20. "Além de mais consumida, a bebida é um ótimo produto de marketing", comenta Alexandre Stervid, sócio do irmão na empresa. Apesar de suave, o chope de uva tem graduação alcoólica de 10,5%, o dobro do comum. A bebida é resultado de várias experiências. Stervid não revela detalhes da produção alegando que o processo está em fase de solicitação de patente e o projeto envolve outras pessoas. Mas é resultado de uma mistura de vinho com características específicas, gás carbônico e espuma do chope comum. Armazenada em barris de aço, a bebida é tirada como o chope de cevada e resfriada à mesma temperatura, cerca de 2 graus. Cada barril custa em média US$ 400. Stervid tem quatro alugados. Leia mais no Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.