Choque de embarcações na Baía de Guanabara deixa oito desaparecidos

Quatro tripulantes de uma embarcação que afundou, no final da noite de terça-feira, na Baía de Guanabara, em Niterói (RJ), foram resgatados com vida até às 2h30 da madrugada desta quarta-feira por militares da Capitania dos Portos. Segundo o Corpo de Bombeiros, a embarcação chocou-se lateralmente contra um navio cargueiro que entrava na Baía de Guanabara.O grupamento Marítimo dos Bombeiros de Botafogo, cujos policiais auxiliam militares da Capitania dos Portos na busca às vítima do naufrágio, confirmou que havia 12 tripulantes no barco Costa Azul, que pertence à TEC-SUB Engenharia Subaquática, de Santos. A tripulação, que trabalha na manutenção no emissário da Barra da Tijuca, seguia para Jurujuba, em Niterói, onde o barco seria reabastecido, quando afundou na Praia do Gragoatá.Quatro dos 12 tripulantes haviam sido resgatados com vida até as 5 horas da manhã desta quarta-feira. São eles: Eduardo da Silva Pinto, Tiago Batista Barros, Eliezer Chaves Oliveira e André Luiz Loenzeti. Seguem desaparecidos oito pessoas, identificadas apenas pelos prenomes de Esmeraldo, Tamaioto, Josimar, Elivelton, Robson, Osvaldo e Gustavo. O Mestre Arrais, que também está entre os oito desaparecidos, ainda não foi identificado. As buscas às vítimas estão bastante prejudicadas por causa do mar agitado. O mergulhador Leandro Nunes, que trabalha com a equipe que estava no barco, escapou do acidente pois estava em seu dia de folga. Segundo ele, trabalham no barco mergulhadores, marinheiros, um supervisor, um cozinheiro, e o mestre Arrais. Nunes disse que o grupo trabalha 21 dias seguidos. A Capitania dos Portos negou-se a passar informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.