Chove no sambódromo carioca

Uma forte começou a cair durante o desfile da Acadêmicos da Rocinha, segunda escola a desfilar neste domingo no sambódromo carioca. Mas mesmo antes da água começar a cair a escola de samba já enfrentava problemas, com carros quebrando e atrapalhando o desfile. Logo no início, o primeiro carro ficou parado e demorou a entrar, criando um buraco entre as primeiras alas. Consertado, o carro passou correndo os primeiros trechos para alcançar os integrantes qua já haviam entrado. Outros carros também tiveram problemas parecidos e alas que entrariam atrás deles o ultrapassavam na concentração para não comprometer o desfile da escola. Um problema também no terceiro carro da Rocinha, que ficou parado na concentrçação, abriu um buraco de 200 a 300 metros entre as alas. O problema acontece exatamente em frente à primeira cabine dos jurados. O público aplaude e incentiva os integrantes da escola a apressarem o passo. Uma ala inteira teve deve passar correndo. Não foi só a escola que foi afetada pela chuva. No público, as mulheres que acompanhavam os desfiles, desesperadas, tentavam proteger o cabelo e a maquiagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.