Chuva alaga unidades de saúde em Franca e atendimento é suspenso

A chuva que caiu em Franca, no interior de São Paulo, na madrugada desta terça-feira, 17, alagou consultórios, salas de cirurgia e administrativas do pronto-socorro Doutor Janjão e o Núcleo de Gestão Assistencial (NGA). Cerca de 600 pessoas não tiveram atendimentos médicos e terão que remarcar as consultas. Algumas casas também foram invadidas pelas águas no Jardim Santa Adélia, causando prejuízos materiais. Foram registrados 46 milímetros de chuva pela Cooperativa dos Cafeicultores e Agropecuaristas de Franca (Cocapec). Em Ribeirão Preto, a chuva que caiu entre a noite de segunda-feira, 16, e a madrugada desta terça, durou cerca de dez horas. Apesar de não causar estragos, a pancada intensa preocupou muitos moradores, principalmente os que estão às margens dos principais córregos, que chegam a transbordar. O volume de água chegou a 52,6 milímetros durante a chuva, mas a média de outubro, em apenas 17 dias, já atingiu 195,3 milímetros, superando a média história do mês, que era de 128 milímetros, segundo os dados do Centro de Cana do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), a antiga Estação Experimental da cidade, ligada à Secretaria Estadual da Agricultura.Apesar da chuva intensa, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil não tiveram problemas dessa vez. "Não houve nenhuma solicitação, mas nessa época, até março, estaremos em alerta redobrado o tempo todo, pois a tendência é de muita chuva nesse período", disse o presidente da Comissão Municipal de Defesa Civil, de Ribeirão Preto, Erick Cunha Junqueira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.